Medicina Tradicional Chinesa (MTC)

A Medicina Tradicional Chinesa é um vasto campo de conhecimento, de origem e conceção filosófica abrangendo vários setores ligados à Saúde e à Doença. Durante milénios de prática clinica, acumularam-se experiências e desenvolveram-se teorias complexas com uma abordagem holística do ser humano. O foco da MTC vai muito além da doença, enfatiza os fenómenos percursores das alterações funcionais e orgânicas, tanto de origem interna como os de origem no meio envolvente.

O pensamento chinês “esperar ter sede para cavar um poço, pode ser muito tarde”, reflete toda a filosofia preventiva, sob todos os aspetos, principalmente na área da Saúde.

Vários documentos perderam-se ao longo dos tempos. Na base teórica da MTC há que salientar duas obras literárias fundamentais:

  • Huang Di Nei Jing (Clássico de Medicina do Imperador Amarelo) que foi recompilado por um grupo de médicos do Período dos Reinos Combatentes (480-221 a.C.). Huang Di, conhecido como o Imperador Amarelo, é considerado o ancestral de todos os chineses e o criador lendário, entre outros elementos importantes da cultura chinesa, do Taoismo e da Medicina Tradicional Chinesa.
  • Shennong Bencaojing (Clássico de Medicina Herbal). De acordo com a lenda, há cerca de 5000 anos, Shennong cujo nome significa “Divino Agricultor”, também conhecido como o Imperador do Fogo, ensinou aos antigos chineses não só as suas praticas de agricultura, mas também o uso de medicamentos à base de plantas.

Nestas obras exploram-se teorias complexas e vários métodos terapêuticos, tais como a Acupuntura, Moxabustão, Fitoterapia Chinesa, Ventosaterapia e Tui Na, que mantêm a sua aplicabilidade nos tempos atuais, com poderosos efeitos terapêuticos.

Acupuntura

A Acupuntura é o recurso terapêutico mais conhecido da MTC no Ocidente, muitas vezes confundida com a mesma. É um método terapêutico que, através da inserção e manipulação de agulhas, se estimulam pontos e áreas especificas corpo humano para prevenir e tratar patologias.

Moxabustão

Moxabustão significa, literalmente “longo tempo de aplicação de fogo”. É um método terapêutico externo que consiste em utilizar determinadas substancias ou ervas (geralmente Artemísia) para transmitir calor, defumar e cobrir pontos específicos ou áreas afetadas.

Fitoterapia Chinesa

A Fitoterapia Chinesa é o um método terapêutico baseado nas virtudes terapêuticas das plantas. Difere substancialmente da medicina pelas plantas no Ocidente. Na Fitoterapia Chinesa as plantas são administradas em fórmulas compostas por 3 a 40 plantas. A MTC acredita que uma planta usada isoladamente, além dos efeitos desejados, terá efeitos secundários que serão tão fortes quanto o efeito da planta. Assim, na China, numa fórmula utilizam-se 1 ou 2 plantas para produzir o efeito terapêutico desejado e tantas outras que sejam necessárias para direcionar o efeito e eliminar os eventuais efeitos colaterais das primeiras. Conseguindo-se assim obter fórmulas equilibradas com efeitos terapêuticos poderosos e seguras.

Ventosaterapia

Ventosaterapia é um método que consiste na aplicação de ventosas em áreas afetadas da superfície do corpo humano. Através da criação de uma pressão negativa no interior das ventosas, promove-se o efeito terapêutico desejado.

Tui Na

A massagem Tui Na é um método terapêutico guiado pela teoria da MTC que consiste na aplicação de múltiplas técnicas de massagem, em áreas ou pontos específicos da superfície do corpo humano. É usado para prevenir e tratar inúmeras patologias.